SP adere às campanhas da ONU para zerar emissão de poluentes até 2050

O Governador João Doria participou nesta terça-feira (20/07), por meio de videoconferência, da cerimônia de adesão do Estado de São Paulo à campanha da ONU (Organização das Nações Unidas) para reduzir emissões de poluentes e mitigar efeitos das mudanças climáticas. Doria assinou decreto que será publicado nesta semana assegurando o compromisso estadual diante de ambientalistas, organizações internacionais e o Embaixador do Reino Unido no Brasil, Peter Wilson.

“O decreto assinado neste evento marca a adesão definitiva de São Paulo à campanha mundial Race to Zero e estabelece que o Estado tem um plano de ação climática até 2050 para ser obedecido. Neste plano nós estabelecemos metas intermediárias para o período de 2030 a 2040, avançando de forma escalonada e previsível com as medidas de redução de emissão de carbono no Estado de São Paulo”, afirmou Doria.

As campanhas Race to Zero e Race to Resilience buscam o engajamento de governos, empresas, investidores, acadêmicos e lideranças da sociedade civil para zerar as emissões líquidas de gases de efeito estufa até 2050. As ações de São Paulo também serão destaque na próxima Confederação Climática da ONU, a COP 26, na cidade escocesa de Glasgow, no Reino Unido, em novembro.

“Conforme dados da ONU, o estado de São Paulo se junta a mais de 700 cidades, 30 regiões e 120 países que aderiram à campanha Race to Zero. Já são mais de 3 mil empresas, 620 universidades e 170 investidores comprometidos com a meta em diversos locais do mundo. Esta é uma ação importantíssima para preservarmos o planeta para as futuras gerações”, disse o Secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente, Marcos Penido.

Com a adesão ao programa da ONU, São Paulo vai fixar novas metas e soluções para energias renováveis, restauração florestal, agricultura de baixo carbono, bioeconomia, proteção da biodiversidade, controle e prevenção da poluição, qualidade do ar, transportes sustentáveis, segurança hídrica, saneamento ambiental, municípios resilientes e cidades sustentáveis.

“A adesão às campanhas Race to Zero e Race to Resilience via decreto é um marco para a transição rumo a uma economia mais sustentável. Estamos alinhados com a Embaixada e Consulado do Reino Unido para termos uma participação bastante significativa durante a COP26 em novembro”, destacou o Secretário de Relações Internacionais, Julio Serson.

Aquecimento global

De acordo com relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), estima-se que as atividades humanas tenham causado cerca de 1°C de aquecimento global acima dos níveis pré-industriais, com uma variação de 0,8°C a 1,2°C. É provável que o aquecimento global atinja 1,5°C entre 2030 e 2052, caso continue a aumentar no ritmo atual.

“Como anfitriões da COP26, parabenizamos ao governo paulista pela liderança em tornar lei seu compromisso de zerar emissões líquidas de carbono até 2050, incluindo metas intermediárias para 2030 e 2040, e de buscar medidas de adaptação por meio das campanhas Race to Zero e Race to Resilience”, afirmou o Embaixador Britânico no Brasil, Peter Wilson.

Plano de ação

O Governo do Estado já elaborou um relatório denominado “Ações Prioritárias da Trajetória de Descarbonização de São Paulo”, em parceria com a Coalizão Under 2, comunidade global de governos comprometidos com ações climáticas alinhadas ao Acordo de Paris. O grupo deverá publicar o documento chamado “Plano de Ação Climática Net Zero 2050” em até 12 meses.

Race to Resilience

A adesão do Governo de São Paulo à Campanha Race to Resilience firma o compromisso para elaboração da Análise de Riscos e Vulnerabilidade Climática, que será detalhada no Plano de Adaptação Climática, com previsão de entrega em 18 meses.

São Paulo também já desenvolve o projeto Municípios Resilientes, que apoia a formulação de planos municipais de adaptação climática por meio da base estadual de geodados do Estado, em parceria com a agência alemã de cooperação GIZ.

Compartilhe nas Redes Sociais