Doria diz que vacina do Instituto Butantan estará disponível em janeiro

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou hoje (27/07), que a vacina contra o coronavírus desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com a chinesa Sinovac deve ser distribuída em massa em janeiro de 2021 gratuitamente. Isso acontecerá se “não houver problemas na nova fase de pesquisas”.

O secretário de saúde Jean Gorinchteyn afirmou que a atual fase busca avaliar se o corpo consegue produzir anticorpos sustentados em níveis altos, ou seja, se garante a imunidade da população por um período prolongado.

“A quantidade necessária para iniciar a imunização da população brasileira, pode ser aplicada já no início de janeiro com o SUS, com aplicação gratuita em toda população. A melhor notícia que poderíamos ter é a vacina”, declarou o governador.

Doria declarou que a Coronavac deve obter autorização para distribuição da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) até os primeiros dias de dezembro. Os testes da fase 3, realizados em 9 mil voluntários pelo país, devem ser concluídos em outubro.

“Abril do ano que vem já teremos, com toda segurança, a imunização e a tranquilidade que as pessoas poderão celebrar festas, atividades, eventos musicais ou esportivos, sem risco para sua saúde ou sua vida”, disse Doria.

Angariando recursos
Na semana passada, João Doria disse que o Instituto Butantan vai abrir um programa de solicitações de doações para dobrar a capacidade de produção da vacina contra o novo coronavírus, desenvolvida em parceria com a empresa chinesa Sinovac Biotech. Segundo Doria, a ideia é atender a todos os brasileiros e até mesmo exportar para países vizinhos.

“Hoje iniciamos um programa de solicitação de doações para que ele possa arrecadar R$ 130 milhões e investir em equipamentos e tecnologia para aumentar a capacidade de produção, que hoje é de 120 milhões da Coronavac. Por que aumentar a produção? Para o atendimento da totalidade de brasileiros, já que a vacina será aplicada duas vezes. Então, pretendemos dobrar para 240 milhões de vacinas para atendermos todos os brasileiros. Havendo uma segunda ou terceira vacina, o Butantan vai exportar para países vizinhos”, disse o governador.

Por UOL

Compartilhe nas Redes Sociais

+ Notícias